8 de março de 2013

Amamentação {dedicado a todas as mulheres}

Há muito tempo que queria escrever sobre este assunto, mas como se vê pelo tamanho do post tinha que ser escrito com calma (e muito mais havia ainda para escrever) acabou por calhar na perfeição ao ser publicado hoje, Dia da Mulher, é dedicado a todas as mulheres. A partir do momento em que vemos aquelas duas linhas a aparecer no teste de gravidez, a partir desse momento começam uma serie de dúvidas a borbulhar na nossa cabeça de mãe. Uma dessas dúvidas, talvez a maior das dúvidas nesse grande universo de interrogações, é a da amamentação! "Será que vou conseguir ter leite para alimentar e satisfazer totalmente o meu bebé? Será que vai ser doloroso? Como me preparar para esta experiência?" 
Todas nós vamos ouvindo relatos de mães que dizem maravilhas da sensação única de ligação entre mãe e bebé que continua fora da barriga ao amamentar, e de outras mãe que vivem verdadeiros traumas e que ficam para sempre a sentirem-se culpadas e julgadas pelos outros por não conseguirem cumprir essa "obrigação" de mãe.
Até mesmo nos casos em que a mãe consegue amamentar bem, sem dores nem problemas com a quantidade e a qualidade do leite, mesmo assim existem muitas dúvidas!! Porque basta o bebé começar a chorar (algo que eles fazem com muita frequência) para toda a gente e mais alguma opinar que se calhar o bebé ficou com fome e não está satisfeito só com a mama da mãe (ainda que tenha acabado de mamar)!! (Isto da mania das opiniões não se fica só pela amamentação!!) E a mãe tem essa responsabilidade sobre ela, de fornecer alimento em exclusivo, de dar a maminha sempre que o bebé pede, sem horários estipulados.
As aulas de amamentação antes do parto ajudaram a perceber o que nos espera!! O cenário que as enfermeiras nos "pintaram" era tudo menos cor de rosa, "amamentar não é fácil! Não desistam à primeira dificuldade mas acima de tudo mantenham a vossa saúde mental e física acima de tudo pois se a mãe não estiver bem o bebé também não está!" Tudo tem limites, e não se é melhor mãe por amamentar, nem pior mãe por não dar de mamar ao bebé. A humanidade evoluiu em tantos aspectos, as mulheres foram conquistando direitos, mas há certas coisas em que ainda parecem haver "ditaduras" impostas pela sociedade e até pela família.
Felizmente nem tudo parou no tempo e hoje temos coisas fantásticas para ajudar neste processo como por exemplo as conchas de amamentação e protetores de mamilos, mamilos de silicone, os cremes milagrosos para mamilos gretados, bomba para extração de leite, almofadas de amamentação, etc..
A nossa experiência tem sido muito boa, a nossa princesa assim que nasceu mamou logo e muito bem (às vezes os bebés quando nascem são trapalhões e sôfregos e não pegam bem na mama) e desde então nunca mais largou as maminhas da mãe! Nos primeiros dias ficava muito tempo ao peito, chegou a estar 50 minutos seguidos e ao 5.º dia os meus mamilos começavam a queixar destas longas mamadas e a ter fissuras! A minha salvação foram os protetores de mamilo da Medela, foi remédio santo! Em 2 dois a pele regenerou completamente, e o tempo que a princesa demora a mamar também foi diminuindo, agora demora cerca de 15 a 20 minutos em exclusivo do meu peito. É uma sensação única, às vezes tem alturas em que parece que não faço mais nada a não ser dar a mama, mas é muito bom. Durante o dia mama de 3 em 3 horas mais ou menos, e durante a noite já dorme 5 a 6 horas seguidas (o máximo até agora foram 7 horas mas foi só uma noite). E para tornar a hora da amamentação ainda mais confortável e relaxante a nossa querida amiga fez-nos uma almofada de amamentação personalizada, com duas fronhas que se vêm nas fotos, uma de inverno e outra de verão! Adoramos e não passamos sem ela, anda connosco para todo o lado! Esta fronha Primavera/Verão é tão linda!!! Já começamos a usá-la na esperança que a Primavera chegue rapidamente!!
Não faço nenhum tipo de restrição alimentar, faço uma alimentação que inclui todos os alimentos que comia normalmente com muitos legumes, fruta, fibras, chocolate, morangos, grelos. Desde que haja moderação naquilo que se come, ou seja, na mesma refeição não vamos comer uma feijoada, depois uma laranja e para finalizar uma mousse! Não é necessário estar a amamentar para ficar com uma disenteria. O mais importante é ser o mais variada possível pois essa é uma das grandes vantagens do leite materno, ao contrário do leite em pó que é sempre igual, o leite materno tem sabor e este varia conforme aquilo que a mãe come e assim o bebé vai-se habituando aos diferentes sabores e paladar. A única proibição é o álcool e o café. O café por acaso já tinha enjoado durante a gravidez, acho que foi a única coisa que enjoei, e agora continuo a dispensar.
As enfermeiras também desaconselharam o uso de chupetas até o bebé estar bem habituado à mama, como a nossa princesa era muito sossegada esperamos e só ao fim de 15 dias de nascer é que lhe demos a primeira chupeta pois ajudava a acalmar naquela fase em que quer dormir mas quer mamar em tudo à sua volta, fralda, cobertor, dedos... e não interferiu em nada, continua a mamar cheia de vontade!  
Este longo post, que mais parece um testamento, foi escrito durante vários dias e com muitos intervalos pelo meio para dar a maminha! :)

6 comentários:

  1. Os meus filhos mamaram até aos nove meses, curiosamente das duas vezes comecei a ficar sem leite na mesma altura, passados exactamente nove meses. E eram momentos únicos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Luísa Alexandra!
      São mesmo momentos únicos, não há palavras! E passa tão rápido...
      Beijinhos nossos *.*

      Eliminar
  2. Parabéns pela tua princesa... é linda!!!! E obrigado pela partilha :).... serei mãe em Maio e estou naquela fase do... como irá correr o parto??? como será o meu bebé??? serei capaz de amamentar ??? Resumindo... dúvidas e mais dúvidas...

    Beijinho
    Carla

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carla!
      Muitos Parabéns pela gravidez, espero que esteja a correr tudo bem.
      Fico muito contente por poder ajudá-la com as minhas partilhas da gravidez e do dia a dia da vida de mãe!
      Não sei se fez o Curso de Preparação para o parto, eu fiz e recomendo. Ajuda muito e dão dicas muito úteis para os cuidados com o recém-nascido, amamentação, etc.
      Desejo uma hora muito muito pequenina tal como foi a nossa! ;)
      Beijinhos do Paraíso e obrigado pela visita ^.^

      Eliminar
  3. Acho que é um tema com muito a dizer!
    Sempre achei que recebemos poucos esclarecimentos, na maternidade relativos à amamentação. Na minha 1.ª filha, fiz as aulas de preparação, mas não terminei pois a Sara nasceu de 8 meses. Nunca falei de amamentação, nunca me esclareceram, as avós opinavam mas não ajudavam. A Sara como nasceu prematura não sabia fazer sucção, alimentavam-na por uma sonda :-( Foi muito mau.
    Só em casa é que consegui que ela mamasse e foi sempre com mamilos de silicone. Mas nunca desisti porque entendi que era o melhor para ela.
    Com o Pedro, a experiência não trouxe vantagens! Ele era comilão, o leite tardou a subir, tive que recorrer muitas vezes à bomba. Ao contrário da irmã não queria os mamilos de silicone, e ganhei imensas fissuras.

    Com a Sara aos 6 meses fiquei sem leite, fez bem a transição.
    Com o Pedro aos 9 meses, o leite era pouco e por conselho da pediatra deixei de amamentar. Foi um stress para pegar no biberon!

    Uma coisa é certa, são momentos muito bons! MAs quem opta por não amamentar não deve ser "apedrejado" porque acho que na realidade há um défice de informação no nosso país, sobre isto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A falta de informação, quer para o parto quer na amamentação é muito grande e torna-se na principal causa de muitos problemas porque os pais ficam completamente desorientados e sem apoio de quem devem ter. E depois com os avós e familiares todos a dar maus palpites é do pior.
      Beijinhos de nós as duas ^.^

      Eliminar

Muito obrigada pela visita ao Paraíso, retribuirei assim que puder.

Até breve!